teto de vidro
Publicado em 01 de fevereiro de 2021

Um respiro de luz sobre as nossas cabeças: teto de vidro

Por Engº Nelson Firmino

O teto de vidro que confere elegância e sofisticação ao Shopping Iguatemi na Av. Faria Lima, em São Paulo, é chamado de skylight, um recurso arquitetônico que também atende pelo nome de claraboia. Além do efeito estético, o skylight permite a passagem de luz natural, o que torna mais aconchegante o ambiente. O projeto do Iguatemi, assim como o do Orquidário Ruth Cardoso, dentro do parque Villa Lobos, e o do Tribunal Regional do Trabalho Ruy Barbosa, todos na capital paulista, recebem a assinatura da Aluparts.

Teto de vidro na Aluparts

As formas variam conforme a criatividade dos arquitetos, que sempre buscam valorizar as edificações por meio de projetos inovadores. Elas podem ser suportadas em diversas bases, como madeira, concreto, aço ou alumínio.

O fundamental é que, nas coberturas, sejam usados vidros de segurança, ou seja, laminados. Dessa forma, se ocorrer qualquer tipo de ruptura, os vidros não irão se desprender: eles sofrem ruptura, mas permanecem unidos por meio de um PVB, evitando machucar quem esteja perto. Vale conferir à NBR7199 da ABNT, que detalha os dados para o projeto e a instalação de teto de vidro na construção civil.

Fatores importantes ao se colocar vidro no teto

1. Declividade

É recomendado que a declividade dos vidros seja superior a 5%. Isso vai permitir o escoamento natural da água das chuvas, evitar empoçamentos e, principalmente, a deformações dos vidros.

2. Esforços atuantes na cobertura

São, basicamente, três tipos de esforços: peso próprio, esforços devido à pressão dos ventos, e cargas eventuais para manutenção.

3. Peso dos materiais

O vidro laminado de 10mm pesa 25kg/m². O peso do caixilho de alumínio gira em torno de 10kg/m². É preciso ainda considerar a lâmina de água sobre o vidro e o peso do responsável pela manutenção eventual.

Quando o assunto é pressão dos ventos

As normas técnicas da ABNT NBR 10821-2 e NBR 6123 apresentam os valores de pressão a serem considerados nos cálculos. Esses valores variam conforme a região e as características da obra.

Coeficiente dinâmico de pressões

A tabela nº18 da NBR 6123 apresenta, de forma clara, os coeficientes dinâmicos. Esses coeficientes levam em conta a ação horizontal dos ventos e os efeitos nas coberturas inclinadas.

COEFICIENTES DE PRESSÃO PARA COBERTURAS INCLINADAS ATÉ 20°:

COEFICIENTES DE PRESSÃO

Cpb = Coeficiente de pressão a barlavento
Cobertura frontal ao vento

Cps = Coeficiente de pressão a sotavento
Cobertura posterior ao vento

Conhecendo-se os valores de pressões dinâmicas, é possível obter o esforço total sobre os vidros.

Na figura 1, a pressão é 1030 N/m². O peso próprio do vidro e do caixilho é 350 N/m². Resulta pressão positiva total de 1.380 N/m².

No caso da figura 2, temos a pressão dinâmica de 40 N/m². Resulta na pressão positiva: 350-40 = 310 N/m².

Considerada pressão básica de 1000N/m² e declividade 20° tg 0,18.

desenho de exemplo de coeficiente de pressão

Conte com a Aluparts!

Quer projetar a sua cobertura envidraçada com quem entende do assunto? Entre em contato conosco agora mesmo, pelo formulário em nosso site ou pelo WhatsApp.

Conheça todos os nossos serviços:

Gostou do nosso artigo sobre teto de vidro? Para ler mais artigos como este, visite o nosso blog! Lá, você encontra outros conteúdos exclusivos.